Como cuidar da sua ave de estimação?

0
327

Aqui vamos tentar dar algumas dicas de como cuidar da sua ave.

Alimentação e Alojamento

Alimentação de uma ave

Alimentar corretamente as suas aves e meio caminho para que se encontrem saudáveis, mas pode também ser mais complicado do que parece. Pode pensar-se que as sementes compradas em qualquer super mercado ou loja de animais satisfazem completamente as necessidades das aves, errado, as aves em liberdade comem muito mais do que sementes, assim compreendemos que só sementes não satisfazem por completo as necessidades das suas aves.

Para as aves Granívoras (as que vivem essencialmente de sementes) devemos também por ao seu dispor fruta e verdura pois contêm uma importante quantidade de nutrientes necessários ao seu bem-estar, mas atenção o seu excesso pode trazer alguns problemas como a diarreia, a verdura por exemplo pode ser fornecida sempre fresca e em pequenas quantidades.
Devemos também proporcionar as aves principalmente na época de gestação as aves gostam de insetos e derivados de ovos de vez em quando. Os alimentos derivados de ovos podem ser encontrados em qualquer loja da especialidade em forma de papa.
Para aves insetívoras poderá adquirir vários tipos de alimentos já preparados tais como granulados, papas à base de fruta não esquecer que estas aves necessitam de insetos vivos e também verdura.

Frutos e verduras

Exemplos de diversos tipos de frutos e verdura que poderá dar à sua ave: maçãs todas as variedades doces, peras, banana, uvas, laranjas, tangerinas, tâmaras, alperces, papaias, figos, ananás, passas, espigas de milho, cenoura, espinafre, alface, tomates, alfafa estas as mais populares.

Atenção nunca dê abacate as suas aves pois são venenosos para uma grande quantidade delas.

Alimento vivo

Poderá fornecer as suas aves também alimentos vivos tais como bichos da farinha, vermes de Búfalo, pastas de insetos grilos, gafanhotos larvas de mosquito, pulgas de água entre outros.

Cálcio, Vitaminas e minerais

Mesmo proporcionando as suas aves uma alimentação variada podem surgir carências para que isso não aconteça devemos por a sua disposição, blocos de cálcio, casca de ostra, grite, por vezes podemos também fornecer algumas vitaminas em liquido.

Alojamento

Poderá alojar as suas tanto em gaiolas como em viveiros, as gaiolas ao contrario dos viveiros não permitem tanta liberdade para as aves poderem voar e fazer algum exercício, mas também não e menos verdade que certos tipos de aves não podem estar misturados com outros (não se vai juntar num viveiro uma arara com um bando de mandarins ou mesmo periquitos), eu Pessoalmente penso que se o nosso objetivo for fazer criação então o melhor e alojar os casais em gaiolas separadas, pois assim podemos ter um maior controle na criação, mas também não é menos verdade que algumas espécies criam melhor em grupos como é o caso dos Agapornis e as catarinas entre outros mas pelo contrario há espécies muito agressivas na época da criação por isso têm de ser mesmo alojadas em gaiolas separadas como é o caso das roselas.

Se a sua escolha for um viveiro então deverá ter atenção aos seguintes pontos: Um viveiro deverá estar sempre num local abrigado, virado para sudeste ou sudoeste é necessário construir também um abrigo noturno para proteger as aves dos dias mais frios e também da chuva e geada, aconselho também a ter duas portas com uma zona de segurança entre elas, a estrutura deverá ser robusta é melhor utilizar uma base de tijolo ou pedra, a rede isso vai depender do tipo de aves que quer instalar no viveiro se forem aves de pequeno porte então uma rede fina bastará, se pelo contrario esta a pensar em aves de maior porte tipo psitacídeos australianos então deverá ser uma rede robusta.

Os poleiros evitem fazer os poleiros com madeira podre pois pode estar contaminada com fungos prejudiciais as aves, não esquecer também dos recipientes de água e comida esta devem ser feitos num material lavável para facilitar a sua limpeza que tem de se regular, o chão do viveiro deverá ser de cimento para evitar o acesso de roedores aos aviários para facilitar a limpeza.

Doenças

Tipo de doenças

Algumas bactérias, como a escherichia coli, podem dar origem a problemas digestivos, nomeadamente a enterite, antes de se espalharem pela corrente sanguínea e afetarem outros órgãos, uma boa higiene é essencial para evitar a disseminação das doenças entéricas; a coli encontra-se frequentemente no ar e pode se disseminada através das mãos sujas. As fezes do animal afetado mudam de consistência e o animal na fase final da infeção perde o apetite.

Salmonelose e Yersiniose

Duas das doenças mais graves, a salmonelose e yersiniose , as aves podem ser infetadas através dos roedores, estas doenças provocam geralmente um elevado numero de vítimas mortais nas aves. A bactéria da salmonela provoca frequentemente fezes ensanguentadas e a yersiniose pode provocar morte súbita ou uma doença mais prolongada durante a qual a ave perde peso e fica cada vez mais deprimida. Raramente o tratamento é eficaz, em grande parte devido aos danos provocados por estas bactérias no fígado do animal. A yersiniose pode ser facilmente diagnosticada durante a autópsia porque dá origem ao aparecimento de manchas brancas no fígado muito parecidas com as provocadas pela tuberculose de aviário. Por esta razão a yersiniose é também conhecida por pseudotuberculose.

Psitacose ou Ornitose

Esta doença extremamente contagiosa, tem efetivamente dois nomes. Como foi descoberta em primeiro lugar nos psitacídeos, a denominação adquiriu a raiz morfológica “psitac”. Mais tarde verificou-se que ela existia também nas outras aves daí o nome de Ornitose. Esta doença e vulgar nos papagaios trazidos dos países de origem, por isso se devem ter muito cuidado com as importações.

Os sintomas gerais, são os vómitos e os excrementos aquaosos de cor cinzenta esverdeada, ou por vezes verde escura. A ave agacha-se com as penas eriçadas, em tufo. Num estado já muito adiantado, o mal atinge o sistema nervoso e ela não consegue segurar-se no poleiro acabando por morrer, o período de incubação varia entre 5 dias a 3 meses.

O único tratamento possível é à base de antibióticos mas em regra as aves acabam por morrer. Resta acrescentar que a psitacose está hoje praticamente debelada em grande parte devido às novas leis de importação sem obrigatório por lei fazer quarentena às aves.

Doenças do aparelho respiratório

As doenças mais vulgares são a constipação e o catarro. A primeira reconhece-se pela dificuldade que a ave tem em respirar e ao mesmo tempo apresenta as aberturas nasais obstruídas . No catarro pelo contrário a respiração é rápida. São normalmente doenças causadas por um resfriamento, pois as aves tropicais não suportam uma queda de temperatura.

O tratamento consiste em colocar a ave numa gaiola separada a uma temperatura de 35-40ºC, a alimentação deve ser rica em vitaminas se for preciso convém limpar os orifícios nasais. Logo que a ave mostre melhoras procede-se ao abaixamento gradual da temperatura até atingir a temperatura ambiente, apenas em casos já muitos adiantados e necessário o uso de antibióticos.

Doenças do aparelho digestivo

Os chamados desarranjos intestinais são normalmente caracterizados por diarreia aquosa ou com mucos, de cor cinzenta ou cinzenta acastanhada, alem disso as penas em redor da cloaca ficam bastante sujas e a pela nessa mesma zona apresenta-se avermelhada. A ave tem também vómitos e encolhe-se a um canto com as penas eriçadas.

As causas são devido à má alimentação (sementes sujas) e na água igualmente suja ou extremamente fria, embora a doença possa aparecer também como resultado de um resfriamento.

O tratamento consiste em isolar a ave numa gaiola aquecida e na administração de antibióticos. É também aconselhável que a ave não coma verduras e em vez de água coloca-se no bebedouro chá de camomila.
As aves podem ainda ser atacadas de prisão de ventre, neste caso dá-se à ave alimento verde e com auxílio de um conta-gotas abriga-se a beber uma gota de azeite.

Conjuntivite

Trata-se de uma inflamação nos olhos devido à falta de higiene ou às poeiras existentes no aviário.
O tratamento consiste na aplicação de gotas oftálmicas pelo menos duas ou três vezes ao dia, durante duas semanas.

Dificuldade na postura dos ovos

Embora não se trate de uma doença, a dificuldade em expulsar os ovos pode ser devido a vários fatores, entre os quais o tempo frio e por falta de substâncias minerais. Quando acontece a fêmea encontra-se agachada com as penas eriçadas e fazendo pequenos movimentos com o corpo como que a tentar expulsar o ovo. A melhor forma de auxiliar é mudar a fêmea para um ambiente aquecido pegando nela com todo o cuidado e depois segurando-a por cima de uma cafeteira com água a ferver de modo que o vapor de água atinja toda a parte inferior do corpo, normalmente nessa altura produz-se uma dilatação da cloaca e a ave chega a pôr o ovo naquele mesmo instante.
Nos casos mais graves e necessário colocar uma gota de azeite no interior da cloaca e muda-se a ave para um ambiente húmido e ligeiramente aquecido.

As causas das doenças

Primeiro que tudo temos de saber distinguir as doenças patológicas das fisiológicas.

As causas das doenças fisiológicas são normalmente questões ambientais, alimentação incorreta, mau alojamento e falta de limpeza enquanto as patológicas são causadas por agentes patogénicos. Como é normal não podem ser combatidas de modo igual.

Os tratamentos

Existem dois tipos de tratamentos os preventivos que consistem em dar às aves vitaminas para completar a sua alimentação e prevenir doenças.

Os curativos devem ser administrados unicamente em aves doentes, são normalmente tratamentos à base de antibióticos e não é necessário submeter as aves saudáveis as estes tratamentos que por vezes são extremamente duros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here