Google faz parceria com a Samsung no mercado dos relógios conectados

Na conferência I/O do Google, a empresa americana anunciou a fusão do Wear OS e do Tizen da Samsung.

Com a Samsung, a Google reforça a sua posição no mercado dos smartwatch contra a Apple. © Google

O objetivo estabelecido pelos dois intervenientes: oferecer uma “plataforma única e unificada” para melhorar a experiência do utilizador nos seus relógios conectados.

O Google diz que esta fusão não beneficiará apenas as duas empresas, mas “todos os fabricantes de aparelhos”.

Melhor performance e melhor autonomia da bateria

Esta grande atualização do sistema operativo do Google dedicado aos relógios ligados trará um ganho de performance de cerca de 30% na velocidade de lançamento das aplicações, bem como movimentos de interface mais fluidos.

Do lado da bateria, a firma diz que “as camadas inferiores do sistema operativo, ao tirar partido dos núcleos de hardware de baixa potência, [irão] permitir uma melhor duração da bateria”.

Graças a estas otimizações, será possível fazer funcionar o sensor do ritmo cardíaco continuamente, ao longo do dia, controlar a qualidade do seu sono durante a noite, ao mesmo tempo que se poupa bateria para o dia seguinte.

A Google quer fornecer “um serviço de fitness de classe mundial” com Fitbit, a empresa especializada em pulseiras de fitness conectadas que adquiriu no início deste ano.

Novas funcionalidades e aplicações para melhorar a experiência do utilizador

Com o objetivo de proporcionar uma melhor experiência ao utilizador, serão introduzidas várias melhorias no Wear OS.

Entre as novas características, podemos notar:

  • Gestão simplificada de tarefas com novas funcionalidades de navegação,
  • Atalhos de duplo toque para voltar à aplicação anteriormente utilizada,
  • Personalização do carrossel no ecrã inicial com “azulejos” para um acesso rápido às aplicações favoritas para estar sempre atento às informações mais importantes.
Serão introduzidas várias melhorias no Wear OS © Google

A fusão do Wear OS com o Tizen da Samsung também deverá expandir o catálogo de aplicações oferecidas através da Google Play Store para smartwatches :

Novas ferramentas, tais como um API Tiles e um editor de faces de relógios com conceção da Samsung, facilitam o desenvolvimento de novas experiências em relógios conectados, diz Bjorn Kilburn, director de gestão de produtos da Wear.

As aplicações tradicionais do Google também receberão uma remodelação:

  • Google Maps e Google Assistant “estão a ser redesenhados e melhorados”,
  • Google Play também será otimizado e com suporte em 26 novos países (contra 11 atualmente),
  • O YouTube Music estará brevemente disponível com a capacidade de descarregar faixas, mesmo quando o seu smartphone não estiver por perto.

Ao integrar a Samsung no escopo do Wear OS, o Google ataca a Apple neste campo, reforçando a sua oferta de smartwatches. Esta nova parceria deverá reordenar as cartas no mercado dos relógios ligados.

Deixe um comentário