Verizon vende Yahoo e AOL por 5 mil milhões de dólares

Em vinte anos, o valor combinado de Yahoo e AOL tinha caído de 98%, forçando a Verizon a vendê-los à Apollo Global Management.

Ontem, a Verizon anunciou numa declaração no seu website que estava a desinvestir nos seus negócios de media, incluindo Yahoo, AOL, TechCrunch, Yahoo Finance, mas também Engadget.

A empresa está a vendê-los por 5 mil milhões de dólares à Apollo Global Management, uma empresa americana de investimento privado.

Verizon diz adeus ao Yahoo e à AOL

Isto é o que chamamos um mau negócio. Há vários anos atrás, a Verizon tinha multiplicado os investimentos para tentar tornar-se um ator importante na publicidade online e competir com o Facebook e o Google.

Para tal, em 2015, a firma tinha comprado a AOL por 4,4 mil milhões de dólares. Dois anos mais tarde, foi o Yahoo que se juntou à Verizon pela modesta quantia de 4,48 mil milhões de dólares.

Estas duas aquisições permitiram a criação do segmento de media e publicidade da empresa, chamado “Oath”.

Contudo, este projeto não foi tão bem sucedido como se esperava, e levou a Verizon a despedir 40.000 empregados desta divisão.

A sua tentativa de recomeçar com o pé direito com “Verizon Media” em 2018 também acabou em fracasso.

A multinacional americana teve de prover um prejuízo de 4,9 mil milhões de dólares, dos quais 4,6 mil milhões apenas para este ramo.

Uma soma astronómica, e um projeto que é agora abandonado e vendido à Apollo Global Management.

“Graças à experiência setorial e à visão estratégica da Apollo, a Yahoo estará bem posicionada para tirar partido das oportunidades de mercado”, afirmou a empresa de telecomunicações no comunicado.

Segundo os termos do acordo, a Verizon manterá uma participação de 10% na nova entidade, denominada simplesmente de “Yahoo”.

Guru Gowrappan, CEO do Verizon Media Group, permanecerá como seu chefe quando o negócio estiver concluído, normalmente no segundo trimestre.

Verizon quer concentrar-se no 5G

Apesar de o sonho de se tornar produtor de conteúdos estar a desaparecer para a Verizon, ela permanece na corrida para a 5G.

O operador quer agora concentrar-se na implantação da sua rede e está a intensificar os seus esforços.

Nos últimos meses, a sua aliança com a Microsoft e a Nokia para se tornar um super-serviço privado de 5G e o seu acordo de 6 mil milhões de dólares com a Samsung ajudaram-na a tornar-se uma peça chave na implementação do 5G.

A Verizon está gradualmente a expandir a sua cobertura de rede nos Estados Unidos, e continua a sua batalha com os operadores AT&T, T-Mobile e Comcast.

No início do ano, durante um leilão, esta luta tinha atingido recordes ao exceder os 76,5 mil milhões de dólares.

A Verizon, que tinha ultrapassado largamente o seu orçamento de 70 mil milhões de dólares na altura do evento, parece assim pronta a endividar-se para apostar tudo no 5G, e para compensar o fracasso do seu ramo dos media.

Deixe um comentário